Mostrando postagens com marcador gravadora MK. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador gravadora MK. Mostrar todas as postagens

15 de out de 2016

Oficina G3: entrevista exclusiva na MTV com Krisiun e João Gordo


A banda Oficina G3 participou juntamente com a banda de death metal Krisium no extinto programa Gordo a go-go apresentado por João Gordo na antiga MTV. O programa foi ao ar no ano 2000.
Os músicos tiveram um papo bem legal com o apresentador e os integrantes do Krisium, e nao faltou os clássicos palavrões da parte de Gordo.
A formação na epoca contava com PG, Juninho Afram, Duca Tambasco, Jean e Walter.

Confira a raridade no vídeo abaixo:

Compartilhar este post?

3 de out de 2016

Oficina G3: vocalista confirma saída da MK; baterista A. Aposan pode estar voltando


O cantor e vocalista da banda Oficina G3, Mauro Henrique, respondeu a fãs em seu Facebook e disse: “Não estamos mais na MK”. A resposta se referiu ao lançamento do mais recente single da banda, “Tudo É Vaidade“, cuja distribuição é totalmente independente.

Assim, o ciclo da banda com a gravadora carioca MK Music é encerrado após 17 anos dos primeiros contatos. O início da trajetória da Oficina G3 com a MK se deu no ano de 1999. Na época, participou de um show no Maracanã e, no ano seguinte, lançou o álbum O Tempo que, até hoje, é o maior sucesso comercial do conjunto. Juntamente a Kleber Lucas, Fernanda Brum e Léa Mendonça, Oficina G3 era um dos artistas mais antigos na gravadora ainda em atividade.

Na gravadora, a banda foi indicada três vezes ao Grammy. Além do que os Olhos Podem Ver, lançado em 2005, foi o primeiro indicado. Mais tarde, foi a vez do comemorativo de 20 anos, Elektracustika (2007). Mas a vitória no prêmio ocorreu em 2009, com o disco Depois da Guerra.

Nos anos mais recentes, a Oficina G3 lançou, em 2013, o álbum Histórias e Bicicletas (Reflexões, Encontros e Esperança), disco que trouxe o baterista Alexandre Aposan como membro oficial. No ano seguinte,Aposan anunciou sua saída da banda, afirmando que seu contrato com a MK estava criando barreiras em sua carreira.

Na época do contrato com a MK, a banda havia encerrado um relacionamento de quase nove anos com a extinta gravadora paulista Gospel Records e, por conta da quebra de contrato, foram obrigados a abrir mão de todos os direitos de álbuns como Indiferença (1996) e Nada É Tão Novo, Nada É Tão Velho (1993).

Agora, como artistas independentes, um dos objetivos do grupo paulista é de trazer seu catálogo antigo para as plataformas digitais. Em sua página no Facebook, a banda afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que os antigos trabalhos podem estar disponíveis no Spotify em um futuro próximo.

Em 2017, Oficina G3 completa 30 anos de carreira


Fonte: Gospel prime
Compartilhar este post?